favoritos

Melhores Livros de 2018 | Best Books Of 2018

24.12.18



 Adivinha só quem está aqui para escrever um post vergonhoso sobre como 2018 foi o pior ano de leitura dessa existência? Isso. Eu mesma \o/.
 Então, nesse espírito pouco estressante de final de ano, pegue seu panetone com sorvete e aproveite esse texto irônico, enquanto você procura uma sombra ou ventilador para não morrer cozido no calor de 40º graus que aparentemente dominou o país.

cassandra clare

Resenha: Dama Da Meia-Noite (Os Artifícios Das Trevas #1) - Cassandra Clare

17.12.18



 Como já dizia Gal Costa, "Quando vim para esse mundo, eu não atinava em nada, hoje eu estou destinada a sofrer com parabatais amaldiçoados e chorar feito uma desvairada". Não rimou, porém o sentimento é verídico.
 Em "Dama Da Meia-Noite", Cassandra Clare - também conhecida como destruidora do emocional de todos os seus leitores - narra a estória de Emma Carstairs e Julian Blackthorn. Dois Shadowhunters que tornaram-se órfãos após o fim da Guerra Maligna - aquela que aconteceu lá em "Cidade Do Fogo Celestial" - e agora buscam a vingança e a verdade por trás do assassinato dos pais de Emma, os quais morreram com marcas e símbolos desconhecidos gravados em seus corpos.
 Não bastasse essa investigação que move todo o enredo principal, Emma ainda tem que lidar com os estranhos sentimentos descobertos por seu parabatai, enquanto Julian luta para criar seus irmãos menores e segurar todos os segredos que vem escondendo desde os doze anos de idade.
 Apesar de "Dama Da Meia-Noite" fazer parte desse universo de Caçadores de Sombras criado por Cassandra Clare em 2006, acredito que novos leitores conseguirão entender perfeitamente essa nova obra da autora - mesmo sem terem tido qualquer contato prévio com seus outros romances - simplesmente por que os capítulos iniciais desse livro fazem um apanhado geral sobre tudo aquilo que você precisa saber para compreender o enredo.

clube dos sobreviventes

Resenha: Um Acordo e Nada Mais (Clube dos Sobreviventes #2) - Mary Balogh

5.12.18


 Sophia Fry é uma pessoa excluída da sociedade. Após a morte de seu pai, a garota passou a viver basicamente de favores nas casas de todo e qualquer parente próximo. Conhecida como a "Ratinha" entre seus tios e primos, a dama consegue a proeza de chamar a atenção do Visconde Darleigh.
 Vincent - outro membro do "Clube Dos Sobreviventes" - teve sua primeira participação na guerra interrompida permanentemente, ao acidentar-se com o disparo de um canhão e perder sua visão. Não bastasse sua recuperação mental, o jovem agora tem que lidar com o novo título de Visconde que lhe foi incumbido. Fugindo da mãe e irmãs, as quais tentavam-no arranjar um casamento, o rapaz volta a sua antiga casa de infância e lá conhece a família de Sophia.
 A senhorita Fry, ao notar o interesse - não tão genuíno assim - da prima em agarrar Vicent e sua fortuna com as duas mãos, impede os planos da moça, apenas para ver-se despejada de casa. E o Visconde Darleigh - como o homem honrado que é - prontamente oferece uma solução para os problemas da dama recém-abandonada: unir-se a ele em sagrado matrimônio.
 Como nenhum dos dois tinham planos de casarem-se em um futuro próximo, Vicent faz uma proposta à moça: eles passariam apenas um ano juntos e depois cada um poderia fazer de sua vida aquilo que bem desejasse. E simples assim, Sophia Fry deixou de ser a "Ratinha" para tornar-se uma Viscondessa.