Bienal do Livro SP 2018 + Book Haul

12.8.18

fotos autorais

 A Bienal de São Paulo mal chegou e já foi embora. E devido a minha nostalgia por hoje - 12/08/1028 - ser o último dia do evento resolvi mostrar ao mundo minhas péssimas habilidades de fotógrafa amadora + compartilhar com você, caro leitor, o motivo pelo qual venderei um rim no próximo mês.


 Sem efetivamente participar de uma Bienal desde 2012, passei todos os outros anos um pouco desanimada com o que outrora era o melhor evento da minha existência. Meu grande problema com a Bienal são os preços dos livros lá vendidos e a quantidade enorme de pessoas que marcam presença no evento desde o seu segundo dia de inauguração.
 Os finais de semana dessa maravilhosa feira do livro são, na minha opinião, extremamente lotados. E eu invejo constantemente aqueles que conseguem visitar a feira em seu primeiro dia de abertura, onde a paz e tranquilidade marcam aqueles lindos corredores e seus estandes.
  O que claramente não foi o meu caso, já que no dia 04/08/2018 - primeiro sábado de Bienal - eu basicamente passei mais tempo em filas para tirar fotos nos estandes do que propriamente escolhendo livros ou buscando promoções. E mesmo assim, não consegui tirar foto naquele túnel sonho de consumo, montado pela editora Intrínseca, por que no final do dia eu escolhi encarar a fila do banheiro feminino onde toda população do planeta resolveu marcar um encontrão.
 No entanto, a falta de foto no túnel encantado, não me impediu de fazer a louca dentro do estande da editora Intrínseca, eis aqui o que lá comprei:

  
(clique na capa do livro para ler a sinopse ou comprar a obra)

 "A Princesa Prometida" foi a facada da Bienal. Até mesmo os calhamaços de Diana Gabaldon estavam mais baratos do que essa fofura de capa irresistível que faz qualquer leitor encantado com as luzes do estande agarrar o livro como uma criança protegendo sua boneca.  Me arrependi de ter comprado-o no calor da emoção? Sim. Mas agora já está tarde demais para chorar pelo leite derramado. Então, estou tentando apegar-me as resenhas positivas dessa obra e pensar que ela valeu cada centavo (deixem-me iludir).
 "As Garotas" e "Alucinadamente Feliz" foram os achados nas prateleiras das promoções. O livro de Emma Cline está na lista de leitura desde seu lançamento e por 19,00 reais ele finalmente faz parte da estante. Já a obra de Jenny Lawson eu li/ouvi há alguns anos atrás em inglês e simplesmente me apaixonei. A autora tem um humor ácido e destemido ao mostrar sua rotina e seus tratamentos para depressão e ansiedade. Já estava mais do que na hora de fazer essa aquisição, a qual na Bienal saiu apenas por 9,00 reais (happy dance).


 Saindo da Intrínseca eu tomei a sábia decisão de entrar feito um trem desgovernado no estante da editora Arqueiro e comprar o 6º livro de Outlander, ignorando completamente o fato de que o 4º e 5º volumes estão parados na minha estante e precisam ser lidos urgentemente.
 Acontece que, "Um Sopro de Neve e Cinzas" estava por R$ 49,90 e eu achei o preço mais do que justo para as 1000 páginas dessa obra prima escrita por Diana Gabaldon. Minha única desvantagem aqui foi andar com um tijolo de 1 kg durante as infinitas horas que passei caminhando pela bienal. O bolso agradeceu, mas o ombro ficou imobilizado por uma tipoia durante alguns dias.
 Ainda no estante da Arqueiro fiz as seguintes compras:

   
(clique na capa do livro para ler a sinopse ou comprar a obra)

 Completar a série "Os Bedwyn" definitivamente não estava na lista de prioridades de compras da bienal, mas os romances de épocas mais antigos estavam todos por 19,90 no estande da editora e após ler aquela perfeição chamada "Uma Proposta e Nada Mais" de Mary Balogh, decidi me jogar de cabeça no restante de suas obras. 


 Por último no quesito book haul, passei pelo estande da HarperCollins e comprei:

(clique na capa do livro para ler a sinopse ou comprar a obra)

 "O Rei das Cinzas" de Raymond E. Feist. Uma fantasia que já estava na wishlist há algum tempo. O preço no estante não compensou o crime, mas como já havia enfiado - literalmente - o pé na jaca no estande da Arqueiro, resolvi fazer a última extravagância do dia.
 No quesito preços, achei que nessa edição, algumas editoras estavam realmente caprichando nos descontos. No estande da Globo, por exemplo, todos os livros saíam por R$ 19,90 e apesar de querer levar as prateleiras para casa, confesso que não consegui nem ao menos passar da porta dessa vez - muitas pessoas, filas até mesmo para observar os livros, Bia carregando 1 kg de Outlander nas costas - o universo não conspirou aqui.
 Além disso havia vários sebos e promoções com obras até R$ 10,00 ou R$ 20,00, o que compensava bastante enfrentar a multidão. A Lojas Americanas também fez a louca das promoções e bastante leitores saíram satisfeitos de seu estande.
 A minha maior frustração foi com a editora Gutenberg. Apesar de estar fazendo desconto progressivo, os valores dos livros estavam lá no espaço e nem comprando metade do estoque, o leitor conseguia atingir um preço razoável ao chegar no caixa. 

 

 Já no quesito beleza, sem sombra de dúvidas a editora Plataforma 21 ganhou o troféu com aquele estande bucólico encantador. Apesar de não fazer nenhuma aquisição em seu espaço, sai de lá com a amostras de "Mensageira da Sorte" de Fernanda Nia e "Hazel Wood: A Origem do Azar" de Melissa Albert. 
 No estande da editora Arqueiro, a amostra do próximo lançamento de Gayle Forman, "Eu Perdi o Rumo", foi o achado do mês.

  
(clique na capa do livro para ler a sinopse ou comprar a obra)

 No final, apesar das filas, dos surtos e da miserável falha em meu próprio auto-controle, a Bienal do Livro de SP - 2018 vai deixar mais saudades do que o término da Copa no mês passado. E ainda que eu tenha evitado as edições anteriores do evento, confesso que ao sair do Pavilhão do Anhembi - carregada de sacolas e com um cansaço satisfatório dominando todo meu ser -  agradeci aos céus por daqui a dois anos, ter a certeza de que tudo isso acontecerá novamente.


P.S: Em um momento de propaganda gratuita e aproveitando esse clima de positividade. Gostaria de aproveitar esse espaço para divulgar eu mesma (oi!) e avisar à você leitor que escrevi dois novos contos e publiquei-os pelo KDP na plataforma da Amazon - por que é exatamente isso o que eu faço nesses longos períodos de ressaca literária. "Baile Espectral" e "As Luzes Nas Janelas" estão disponíveis - e gratuitos para assinantes do Kindle Unlimited - em qualquer aparelho ou aplicativo Kindle próximo de você. E isso, finalmente, é tudo por hoje (tchau! até o próximo post! que deverá demorar um pouco pois faz um mês que não consigo ler nada! ri nervosamente enquanto acena uma despedida! desejem-me sorte!).

 
(clique na capa do livro para ler a sinopse ou comprar a obra)

Leia Também

0 comentários