Resenha: Mais Lindo Que A Lua (Irmãs Lyndon #1) - Julia Quinn

25.4.18


 Quando Julia Quinn iniciou sua obra com a seguinte carta ao leitor dizendo: "(...) dessa vez decidi fazer meu herói mergulhar de cabeça no amor já na primeira frase (...)", as minhas suspeitas de embuste foram confirmadas.
 Aos 24 anos, Robert encontra Victoria de 17 anos, andando bucolicamente em sua propriedade e resolve amá-la (é, simples assim). Só que o rapaz como um rico membro da aristocracia e a garota sendo uma mera filha do vigário, foram impedidos de concretizarem esse amor profundo devido as interferências de seus pais, os quais colocaram umas neuras nas cabeças furadas dos protagonistas e  os fizeram duvidar da veracidade de seus sentimentos.
 Mesmo assim, eles ignoram as paranoias e armam um plano de escaparem das garras patriarcais e serem felizes. Eis que no dia combinado para fugirem, tudo dá errado e os mocinhos apaixonados não conseguem viverem "felizes para sempre".
 O tempo passa (e um dia infelizmente a gente nunca aprende), Robert e Victoria se reencontram e iniciam novamente seu relacionamento, desvendando os mistérios do passado e se reconectando a cada dia que passa.
 Se você superar os quatro primeiros capítulos dessa obra, considere-se vitorioso - abra uma garrafa de champanhe e comemore como se fosse ano novo - porque essa releitura fail de "Romeu e Julieta" me fez revirar tanto os olhos que eu quase desenvolvi estrabismo.
 Robert é o mocinho mais chato do universo literário. De cinco em cinco minutos ele andava atrás da mocinha dizendo/perguntanto: "eu te amo, você me ama?". Parecia a versão vitoriana da boneca "Juju Carente" (clique no nome da boneca para assistir o vídeo de elucidação sobre o que eu realmente queria fazer com esse herói).
 Após 7 anos, você pensa que o rapaz irá seguir o exemplo de todo Pokémon e evoluir, mas não, ele continua sendo o verdadeiro chato bumerangue: a mocinha mandava ele embora e quando você menos esperava lá estava ele, fazendo a curva e voltando para assombração geral.
 Sem falar nas frases Carlos Daniel Bracho que ele soltava:

"Sem abrir os olhos, ela sussurrou:
- Sei mais sobre a dor do que você pode imaginar.
- Dor por não ter arranjado uma fortuna, Victoria? Não é disso que estou falando. Mas... - Ele tirou as mãos dela com um floreio. - Já não sinto mais dor.
Victoria abriu os olhos.
- Já não sinto mais nada."

 Meu querido, você teve um crush juvenil, supera. Tudo que saia da boca desse homem soava falso e a personalidade stalker dele estava me irritando profundamente. Ele não deixava a mocinha pensar, falar, agir, ter vontade. Ele simplesmente tratava a garota como se ela fosse uma criança desobediente, dando ordem enquanto impunha sua vontade e presença sob a jovem. 
 Tive vontade de entrar no livro e gritar para Victoria: "Querida, você não precisa de um casamento e sim de uma ordem judicial de afastamento. Para ontem". Não que a moça fosse santa - aliás ela era mais insossa que chuchu -, mas entre os dois, o rapaz ganhava o concurso de importunante sem nem pestanejar.
 Não vou negar, o início do livro (após ultrapassar os 4 capítulos inicias) até chegou a entreter-me em alguns momentos (sabe quando você quer ler para descobrir até onde vai a zoeira do mocinho?), mas após passarmos da metade da narrativa, Julia Quinn simplesmente fica dando voltas e mais voltas em um enredo fraco demais para preencher as 100 páginas remanescentes da obra.
 O que faz com que seu livro se encerre da mesma forma que começou: sem grandes emoções. Com diálogos desfavorecidos, o clichê de amor versus ódio e protagonistas que rodavam iguais baratas tontas em uma narrativa irrisória, "Mais Lindo Que A Lua" poderia ter metade de suas folhas reduzidas.
 Definitivamente, não é o melhor da autora. Se você está a procura de livros com amores instantâneos convincentes, leia  "Um Perfeito Cavalheiro" da própria Julia Quinn, a qual está aqui para exemplificar que a prática realmente leva a perfeição.


Classificação: 2 de 5 estrelas.

x

Compre a obra:

Leia Também

3 comentários

  1. confesso que só pelo não do livro não me animei, mas vendo sua resenha animei-me menos ainda... kkk Sempre bom ter opinião.

    ResponderExcluir
  2. Menina, vou ler todas as suas resenhas antes de ler um livro. Vi que temos uma forma parecida de analisar entao é sempre bom ter alguém para poder confiar uma resenha! Tinha pensado em ler esse, já desisti kkkkkkkkkk. Tenho uma lista de livros que quero ler, mas antes vou ver se vc ja leu! 😅

    ResponderExcluir