Resenha: Batman | Criaturas Da Noite (Lendas Da DC #2) - Marie Lu

11.3.18


 Cá estou eu, lendo livro do Batman, o meu herói - se é que podemos realmente considerá-lo diferente e especial de nós reles humanos - menos favorito da Liga da Justiça.
 Na saga "Lendas Da DC" composta por quatro livros, temos Marie Lu - famosa autora por sua trilogia "Legend" e "Jovens de Elite" - narrando a estória do jovem Bruce Wayne, antes mesmo dele se transformar na figura heroica de Batman.
 Vivendo na cidade de Gotham, ao completar seus 18 anos, Bruce envolve-se em um acidente problemático - culpa de sua personalidade impulsiva - e como consequência por suas ações o rapaz é sentenciado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham - o que na realidade não faz jus ao nome e funciona apenas como uma prisão para criminosos perigosos.
 Lá chegando - como todo adolescente com os hormônios a flor da pele - Bruce encontra a bela, enigmática e sedutora Madeleine. Uma das maiores integrantes de um grupo de delinquentes intitulados "Criaturas da Noite".
 Condenada por inúmeros assassinatos, a garota de longos cabelos negros e olhos misteriosos, se recusa a cooperar com a polícia da cidade sobre os planos de sua atual gangue, a qual - seguindo a filosofia Robin Hood de ser - está matando todos os ricaços de Gotham.
 Todavia, Wayne e seu charme de rico com alma de sofredor, acabam impressionando a garota e juntos eles iniciam uma interação perigosa demais para Bruce seguir sozinho. 
 Diferente de "Mulher-Maravilha" de Leigh Bardugo eu gostei da estória narrada por Marie Lu. Presa em uma ressaca literária, a qual parecia nunca conseguir enxergar uma luz no fim do túnel, "Batman" foi o primeiro livro o qual consegui finalizar em quase três meses de frustração e leituras abandonadas.
 Em uma mistura entre os seriados "Arrow" e "Teen Wolf", Marie Lu conseguiu descrever de maneira ágil o universo de riqueza e ostentação vivenciado pelo adolescente Bruce Wayne. Repleto de festas, carros possantes e tecnologia de última geração, a autora fez uma obra bem atual e chamativa para o público juvenil.
 Seu enredo não alongava-se nas descrições de detalhes e tudo era voltado para as cenas de ações, as quais permearam as 40 páginas finais da obra, acrescentando um toque cinematográfico a narrativa. Sendo sua cinzenta e obscura ambientação do Asilo, a maior marca desse ambiente, o qual está sempre presente na adaptação desse herói.
 No entanto, apesar dessa obra ser leve e fluída ela ainda apresenta todos aqueles problemas típicos dos livros jovens adultos: instalove, pobre desenvolvimentos dos personagens secundários, falta de aprofundamento do personagem principal, uma estória central sem grande embasamento e a principal complicação: esquecimento total de que Bruce Wayne era na realidade o Batman.
 Durante toda a leitura, percebe-se claramente apenas o relato de um adolescente qualquer o qual era rico e envolveu-se em problemas maiores do que deveria. Tirando a presença constante de Alfred e a famosa tragédia familiar, não havia no mocinho de Marie Lu, nenhum traço que fizesse o leitor - fã dos quadrinhos e filmes da franquia - realmente notar o super-herói nessa versão jovem.
 Era como ler mais um desses inúmeros jovens adultos que encontramos por aí nas livrarias, fazendo-me lembrar várias vezes da obra "Sussuro" de Becca Fitzpatrick devido aos sonhos e situações mais obscuras envolvendo os protagonistas.
 As temíveis "Criaturas da Noite" foram personagens desperdiçados pela autora, a qual deveria ter explorado mais esse grupo, de maneira a cativar e fazer o leitor engajar-se com sua narrativa. Até mesmo a protagonista/antagonista feminina ficou perdida em seu próprio enredo.
 Madeleine, apesar de parecer ser legal, não conseguiu sair de seu constante esteriótipo de "too cool for school", o que cansa o leitor, principalmente ao chegarmos no final da narrativa e vários clichês de revirarem os olhos serem protagonizados pela garota - porque verdade seja dita: o romance aqui foi difícil de engolir.
 Talvez se essa fosse uma obra voltada para o público adulto, esses problemas nem existiriam. No entanto, em um livro jovem adulto, esse clichês parecem regras obrigatórias de publicação.
 Ainda assim - apesar de ter colocado quinhentos defeitos na obra - "Batman - Criaturas Da Noite" cumpre seu papel de entreter temporariamente o leitor, o qual não precisa pensar muito ou envolver-se psicologicamente com os personagens a ponto de querer arrancar os olhos de tanto chorar (como eu fiz lendo "Crooked Kingdom" de Leigh Bardugo #nuncasuperei).
 Se você, assim como eu, está a procura de uma leitura fácil, a nova obra de Marie Lu é uma ótima opção de descontração e passatempo. Basta tirar da sua cabeça que isso é um livro sobre o Batman, fechar seus olhos para os clichês, ter fé e seguir em frente.

Classificação: 3 de 5 estrelas.

x

Compre a obra:
Edição Nacional: Batman. Criaturas da Noite
Edição Importada: Batman: Nightwalker

Leia Também

2 comentários

  1. Olá!
    Estava louca de curiosidade de ler este livro justamente por ele se tratar de uma história do Batman, que é um dos meus heróis favoritos da DC; mas pelo que você bem destacou na resenha, essa "ansiedade" por ele logo acabou passando (ainda bem, porque tem um monte que eu queria ler pra ontem ^^').
    Parabéns pela resenha sincera e obrigada por dividir sua opinião conosco. E seguirei seu conselho: lerei-o (algum dia) sem esperar muito.

    Beijinhos e boas leituras ^-^
    Attraverso le Pagine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa te desanimar com esse livro Isabelle, espero que quando vc ler ele algum dia, sua leitura seja mais proveitosa do que a minha. Obrigada pela visita e boas leituras para você também .)

      Excluir