Resenha: O Último Adeus (Rosemary Beach #12) - Abbi Glines

17.8.17


 Momento, vamos rir da infelicidade alheia: Esse mês eu pedi o novo livro da Lisa Kleypas (Uma Noite Inesquecível) para resenhar, porém o destino me enviou o lançamento da Abbi Glines. 
 Erros acontecem e como eu sou introvertida até mesmo no universo virtual (aquelas que não gostam nem de mandar e-mail), acabei por aceitar que leria meu primeiro livro de Glines (é o famoso, "aceita que dói menos").
 "O Último Adeus" é 12º livro da saga "Rosemary Beach" (haja imaginação) e ele irá contar a estória de River Kipling, atualmente conhecido como Capitão. O mocinho de nosso livro está montando um restaurante de luxo na famosa Rosemary Beach e antes da inauguração do recinto, ele contrata algumas pessoas para tomarem conta do local, entre elas, encontra-se Rose Henderson.
 Rose é uma mãe solteira, que trabalha duro desde os 18 anos para sustentar sua filha. Porém, sua contratação no restaurante de River não foi algo impensado.
 Tanto River quanto Rose carregam segredos obscuros de seus passados e ambos fazem o possível para viver com essas inúmeras memórias que os assombram constantemente. No entanto, como todo bom romance, juntos eles irão desvendar seus mistérios e vivenciar uma tórrida paixão que os curará de suas feridas emocionais.
  Basicamente assim, resume-se o enredo desse livro. E eu após uns quinze dias de leitura, concluo que as obras de Abbi Glines não são para mim. Então, se você é fã da autora, como milhares de pessoas são, por favor retire-se dessa resenha e não me odeie por odiar Glines, juro que sou legal.
   "O Último Adeus" é  um livro extremamente fininho, tem em torno de 210 páginas e  mesmo assim, nada nele funcionou. Eu sei que essa autora tem o seu público alvo e faz sucesso entre suas leitoras fiéis, afinal quem gosta do gênero "novo adulto" e até mesmo "erótico" encontra o verdadeiro paraíso nas obras dessa autora.
 O que, claramente, não é o meu caso. River é um mocinho bem genérico, ele é basicamente uma mistura de diversos protagonistas masculinos do gênero. Em vários momentos da obra, lembrei-me do famoso Christian Grey, ao ler suas peculiares falas de macho alfa.
 Achei-o extremamente machista, e quando ele usou a frase: "Porque com ela eu não usaria camisinha. Eu não queria nada entre nós", peguei um nojinho sem limites do moço. 
 Logo no início, a autora tenta justificar que ele é durão desse jeito, porque perdeu o amor da sua vida na adolescência. E todo um suspense envolve os capítulos iniciais sobre a verdadeira identidade de sua amada. Porém, esse mistério, para um leitor mais experiente é facilmente resolvido nas primeiras 20 páginas do livro.
 Então, as cenas de flashback que intercalam a narrativa, não prendem muito a atenção. E eu confesso que elas só me irritaram mais, porque a escrita da autora era piegas ao extremo nesses capítulos. Em todos os parágrafos tinha alguém morrendo de amor e fazendo umas analogias clichês.
 Rose, a protagonista, é a famosa mocinha chuchu: não cheira e nem fede. Simplesmente, não tenho mais nada a dizer sobre ela.
 As cenas nas quais o casal ficava junto (leia-se: faziam sexo), ultrapassavam o nível erótico do romance, beirando algo vulgar e chulo. A imagem da autora sobre Rose durante essas cenas, deixaram-me extremamente triste. É impossível aceitar, que uma mulher, descreva e visualize outra mulher dessa maneira. Parecia que a protagonista estava fazendo uma audição para estrelar na carreira de filmes adultos.
 Nada durante a narrativa me convenceu e tudo soou-me falso ao extremo. Não sei nem como consegui escrever uma resenha desse livro, visto que ele era mais raso do que um pires. Foi impossível encontrar qualquer ponto com o qual me relacionar e talvez por isso, a leitura perdurou por tantos dias. 
 Repito, novamente, que essa é a minha visão da obra. Há quase um ano venho evitando ler livros do gênero "novo adulto", justamente, porque a maioria deles enfrentam esses mesmos problemas.
 Já sabia de antemão, que Abbi Glines não faria meu gênero ou estilo. Pelo menos essa experiência de leitura serviu para comprovar de vez essa informação. Analisando pelo lado positivo, uma autora a menos para gastar dinheiro.


Classificação: 1 de 5 estrelas.

x

Compre a obra:
Edição Nacional - O Último Adeus

Leia Também

2 comentários