Resenha: O Acordo (Amores Improváveis #1) - Elle Kennedy

23.11.16


 Depois de ler "Six of Crows" da Leigh Bardugo tudo o que eu precisava na vida era um livrinho despretensioso para passar o tempo enquanto me preparo emocionalmente para ler "Crooked Kingdom". 
 Então fui logo para a sessão de livros "New Adult" e deparei-me com "O Acordo" de Elle Kennedy. Ignorando todos os meus problemas com esse gênero (e olha que eu devo ter uma lista deles) resolvi dar uma chance à esse livrinho e no final da leitura fiquei até contente por ter feito isso.
 "O Acordo" conta a estória de Hannah Wells uma garota de vinte e poucos anos (moderninha e descolada) que foi a única pessoa capaz de conseguir tirar nota alta na matéria de Ética Filosófica (nem ela sabe como conseguiu tal proeza) e isso chama a atenção de Garrett Graham.
 Graham é o capitão do time de hóquei (além disso ele é tipo o moreno alto, bonito e sensual que todas as meninas da faculdade desejam) e para manter sua posição no time ele precisa desesperadamente tirar boas notas em todas as matérias. O que obviamente não acontece na matéria de Ética.
 Ao descobrir que Hannah gabaritou a prova o rapaz transforma-se num verdadeiro chiclete ao tentar convencer Wells a lhe dar aulas particulares e ajudá-lo a recuperar sua nota. Diferente das outras meninas que morrem de amores por Graham, nossa mocinha diferentona não estava nem um pouco animada com a insistência do garoto.
 Porém Garrett descobre que Hannah era interessada em um rapaz popular e utiliza essa informação para conseguir suas aulas. Juntos eles fazem um acordo onde Graham fingiria ser namorado de Hannah para torná-la popular e em troca a menina iria finalmente ajudá-lo com seus estudos.
  Ninguém aqui precisa ser vidente para saber o que irá acontecer nesse enredo de filme de sessão da tarde, não é mesmo? Apesar do clichê "O Acordo" foi um dos livros mais legais que li dentro desse gênero.
 Elle Kennedy criou uma narrativa pouco original, porém ela nunca teve pretensões de transformar sua obra em algo profundo, com trocentas lições de moral ou encher o enredo com aqueles intermináveis dramalhões de novelas mexicanas.
 O livro é básico e foi essa simplicidade que torna sua leitura em algo agradável de ler. Hannah é uma mocinha direta que faz parte do musical da faculdade, enquanto Garrett é o menino popular que pratica esportes.
 E mesmo depois deles envolverem-se amorosamente eles continuam sendo as mesmas pessoas. O amor não transforma Garrett em um novo ser humano introvertido e nem faz Hannah deixar de ser inteligente. 
 A autora teve a preocupação em criar um relacionamento bem construído ao invés de fazer o famoso instalove que é característico desse gênero. O leitor vê a progressão do casal, desde que eles viraram amigos até o momento do namoro e nota-se o quanto o romance deles é saudável. 
 Garrett foi um mocinho bem legal e atencioso com Hannah, fiquei feliz que a moça também era mais objetiva e juntos eles conseguiam resolver seus problemas sempre dialogando. Eles não escondiam seus problemas ou sentimentos e talvez seja isso que deu rapidez e agilidade na narrativa.
 A autora também ganhou pontos ao abordar sutilmente questões como o estrupo e relacionamentos abusivos de uma maneira informativa e descomplicada, o que só veio a agregar ainda mais para a construção e sustentação do enredo.
 Óbvio que esse livro não é imune as característica do gênero e no final aparece um drama básico para criar um conflito, porém a autora não alonga esse melodrama e logo os problemas são resolvidos.
 Meu único problema com a obra e isso acontece com todos os livros dessa categoria, foram as cenas de sexo e um pouco da vulgaridade na linguagem em geral. Talvez por estar acostumada em ler Romances de Época, sinto que o sexo nos livros NA são sempre descritos de maneira mais erótica do que romântica e como uma pessoa mais lírica e poética, acabo não gostando tanto desses capítulos (romance de época forever o/).
 E como esse foi o primeiro livro "New Adult" que não me fez querer arrancar os olhos do rosto, resolvi dar 4 estrelas para a obra, mesmo ela merecendo 3 (momento zen). Esse aumento na classificação deve-se também ao fato do livro, apesar de ser levemente utópico*, conseguir manter uma certa realidade com relação as personalidades dos protagonistas e no desenvolvimento do relacionamento. (*leia-se utópico porque, nunca na sua vida você irá abrir uma porta da esperança e deparar-se com 4 caras lindos e sarados morando juntos ¯\_(ツ)_/¯ 
 Apesar desse livro não ser 8ª maravilha do mundo, ele é uma leitura rápida, despretensiosa e em alguns momentos até mesmo engraçada e fofinha. Basta você abrir seu coração, ignorar suas implicâncias e ler esse livro apenas como uma forma de passar o tempo. Entretenimento garantido.


Classificação: 4 de 5 estrelas.

Leia Também

0 comentários