sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Resenha: Entre a Culpa e o Desejo (O Clube dos Canalhas #2) - Sarah MacLean


"Não posso imaginar o que você ouviu."
Isso era mentira. É claro que ele sabia do que se tratava.
Ela fez um gesto de pouco caso com a mão.
"Bem, parte das fofocas é completamente absurda. Dizem, por exemplo, que você pode retirar as roupas de uma mulher sem usar as mão."
"Dizem mesmo?"
Ela sorriu.
"É bobagem, eu sei. Definitivamente não acredito nisso."
"Por que não?, ele perguntou.
"Na ausência de uma força física, um objeto em descanso permanece em descanso", ela explicou.
Cross não conseguiu resistir.
"A roupa da mulher seria o objeto em descanso nesse cenário?", ele perguntou.
"Sim. E a força necessária para mover tal objeto seria empregada por suas mãos."

 Depois de muito protelar a leitura do segundo livro da série "O Clube dos Canalhas" de Sarah MacLean, finalmente resolvi dar outra chance para a autora mostrar-me o motivo do seu sucesso internacional como escritora de romances de época e devo dizer que dessa vez ela me convenceu de seu talento.
 Sem ter me encantado muito com o primeiro volume dessa série "Entre O Amor e A Vingança" (clique no título da obra para ler a resenha do livro), confesso que tinha baixas expectativas para essa continuação, porém a história de Pippa e Cross foi tão envolvente que o livro quase entrou para minha lista de favoritos (explicarei nos parágrafos futuros o motivo dele não ter conseguido tamanha proeza).
 Em "Entre A Culpa e O Desejo" Sarah MacLean nos conta a história da irmã mais nova de Penélope, Philippa Marbury. Informalmente conhecida como Pippa, nossa mocinha de cabelos louros, olhos azuis e  portadora de um par de óculos era conhecida universalmente pelos membros da aristocracia como "a estranha" garota da família Marbury.
 Obcecada com experimentos científicos; frutos; flores; animais e números, Pippa estava longe de ser uma mulher desejável pelos homens da época, por isso quando Lorde Castleton a pede em casamento todos os membros de sua família comemoram o acontecimento milagroso.
 Porém Pippa estava longe da felicidade, já que o casamento acrescentou uma lista de problemas insolucionáveis em sua mente, pois nossa heroína era completamente inculta com relação aos assuntos que envolviam os votos matrimoniais e as relações de coito que ocorriam após a cerimônia na igreja.
 Desesperada para solucionar esses misteriosos problemas que envolviam o casamento, Pippa resolve iniciar seu último experimento como solteira e encontrar o parceiro ideal que possa lhe sanar todas as suas dúvidas e preocupações com relação aos prazeres escondidos que as relações íntimas pareciam proporcionar à todas as mulheres casadas. E como uma mulher inteligente, nossa mocinha seleciona Cross para ser seu colega de pesquisa.
 O Sr. Cross é um dos administradores da famosa casa de jogatina "O Anjo Caído", porém o rapaz é conhecido principalmente por sua fama de libertino e sedutor, qualidades que o qualificam para instruir Pippa sobre as partes desconhecidas da anatomia masculina e outras coisas indecentes que são desconhecidas para uma lady.
 Como se todo seu conhecimento não fosse suficiente, Cross ainda é um dos mocinhos literários mais bonitos fisicamente, já que nosso herói é dono de várias sardas consequentes de seu cabelo ruivo e olhos cinzentos (ele já ganhou meu coração só pelo fato de ser ruivo, me julguem). Não bastasse ser um deus grego de quase dois metros de altura, Cross ainda é honrado e recusa veementemente a proposta absurda da mocinha de desvendar todos os prazeres sexuais que conhece.
 É após a recusa de nosso herói que inicia-se todas as confusões e aventuras de Pippa para concluir sua pesquisa antes do casamento e é também nesse momento que o leitor fica literalmente viciado na narrativa de Sarah MacLean.
 Antes de comprar esse livro eu senti um medo intenso de me arrepender sobre essa nova aquisição e o motivo dessa desconfiança ocorreu devido à sinopse dessa obra. Pensava o tempo todo: "Quer história mais propensa à ser vazia do que uma narrativa que gira em torno de uma mocinha inocente pedindo para ser desonrada?". Porém como disse inicialmente, a autora conseguiu transformar uma ideia despretensiosa em algo extremamente bem feito.
 Pippa é realmente uma mocinha inocente e inexperiente, sendo essas características desenvolvidas com tamanha veracidade que ajudam a transformar seu pedido indecente em algo doce e engraçado para os leitores. Além disso, durante vários outros momentos da narrativa, a personalidade de Pippa chegou a ser tão cativante  que o leitor e até mesmo os personagens mais inusitados acabaram criando um nível altíssimo de empatia com a mocinha.
 Foi impossível não rir com as metáforas científicas, as perguntas indecorosas e até mesmo alguns spoilers de "Orgulho e Preconceito" que foram despejados pela mocinha em todos os seres humanos que a cercavam, acrescentando leveza e comicidade à narrativa.
 Não bastasse nossa heroína ser encantadora, Cross também foi um protagonista que quase levou o prêmio de "Melhor Mocinho Literário". O rapaz não era um libertino inescrupuloso, surpreendi-me com sua força de vontade e nível de honra, em nenhum momento ele quis prejudicar Pippa e fazia todo o possível para preservar sua inocência e não manchar seu caráter e reputação perante a sociedade.
 A combinação da personalidade do casal foi o elemento final para a criação perfeita de um romance bem desenvolvido e elaborado, baseado exclusivamente no diálogo e sentimentos dos protagonistas. Durante a leitura, percebe-se que Sarah MacLean preocupa-se realmente em enriquecer o relacionamento entre Pippa e Cross, fazendo jus ao gênero do livro.
 De uma maneira lenta, porém instigante, MacLean faz o leitor torcer para o final feliz de Pippa e Cross, ao mesmo tempo que desenvolve enredos paralelos para preencher as lacunas da narrativa. Além da história de amor, "Entre a Culpa e o Desejo" apresentava um enredo paralelo envolvendo um vilão para o casal, fato que enriqueceu mais ainda a narrativa da obra, tornando-a ágil e envolvente.
 Agora como sou uma pessoa que sempre implica com alguma coisa, eis alguns dos motivos que me impediram de classificar esse livro com cinco estrelas e ligeiramente me incomodaram durante a leitura.
 O primeiro problema é algo que me incomoda desde o primeiro livro dessa série: a família Marbury. Olívia e Pippa iriam realizar um casamento duplo e todos os trechos que a irmã da moça apareceu eu me irritava, pois meu ódio por Olivia foi instantâneo. Até mesmo a breve aparição de Penélope e Bourne não me encheu de alegria, já que eu também não sou fã do casal.
 Outro fato que surgiu na minha mente durante a leitura, foram algumas falhas com a caracterização da época e suas regras. Ao ler o livro e ver Pippa andando para todos os lados sem acompanhante e frequentando "O Anjo Caído" várias vezes seguidas e em alguns horários noturnos me fez pensar que ninguém na família preocupava-se com a moça, pois sua ausência durante os quinze dias antes de seu casamento foi algo frequente.
 Todo momento que a moça levava sua cachorrinha para andar pela cidade eu sentia uma falta dos elementos de época, porém esse fato é algo relevante e como eu disse uma implicação pessoal minha, assim como o último problema que infelizmente encontrei em Cross.
 Óbvio que a graça do romance era ver Pippa tentando convencer Cross á desonrá-la, porém eu gostaria de ver nosso mocinho sendo um pouco mais ativo nessa história. Analisando "friamente" a obra, questionei-me sobre a participação passiva de Cross, principalmente no final da narrativa quando Pippa se desdobrou para encontrar uma solução à todos os problemas que cercavam o casal.
 Meu coração mais tradicional adoraria ver o mocinho tomando alguma atitude ou arquitetando algum plano para poder ter a mulher que ele amava. Entendo os motivos pelos quais Cross resolveu assumir essa posição e não tomar nenhuma iniciativa, já que para ele essa era a decisão correta, porém fiquei triste ao perceber que se Philippa não fosse tão insistente esse romance talvez não teria se concretizado.
 Implicâncias pessoais à parte, acredito que MacLean superou-se nesse livro, foi possível ver a evolução de sua escrita e como isso influenciou o crescimento dos personagens e da narrativa. Literalmente mil vezes melhor que o primeiro volume da série, estou ansiosíssima para o próximo livro "Entre a Ruína e a Paixão" que contará a história do sombrio Temple.
 Se a autora mantiver esse padrão de escrita não tenho dúvida de que ela rapidamente irá entrar para minha lista de favoritos.

"É claro que alguém tinha dado comida para ela. Didier, sem dúvida, que tinha um fraco por qualquer pomba suja que encontrava o caminho até a cozinha do Anjo. Mas Philippa Marbury não era uma pomba suja. Ainda... E não seria, se ele pudesse fazer qualquer coisa a respeito.
"Sua cozinheira foi muito gentil e me fez um lanche enquanto eu esperava." Pippa levantou, estendendo o prato para ele. "Está delicioso. Você quer um pouco?
Sim. Deus, sim, ele queria um pouco.
"Não. Por que ela deu comida a você?"
"Estou em fase de pupa" Ele olhou para cima, desesperado e pedindo paciência.
"De quantas formas diferentes eu vou ter que lhe dizer que não estou interessado em ajudar você a sair de seu casulo?"
Ela ficou de boca aberta.
"Você fez referência a metamorfose" Aquela mulher o estava deixando louco."


Classificação: 4,5 de 5 estrelas.

3 comentários:

  1. Achei seu blog por causa do seu instagram e só posso dizer que bom que o achei. :)
    Não conhecia esse livros, mas achei interessante a história toda ainda mais sobre o mocinho ser bom até demais, mesmo Pippa causando várias confusões.
    Beijo e feliz ano novo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila fico feliz que você encontrou o blog por acaso .D Espero que minha resenha tenha te causado uma boa impressão sobre essa série e você leia esses livros algum dia, pois eles são diversão garantida .)

      Feliz ano novo para vc tbm.

      Excluir
  2. Oi, Bea!

    Não conhecia a série, e confesso que mesmo AMANDO romances de época e com a sua opinião positiva desse segundo volume (fico feliz que tenha gostado!), não leria. Acho que é porque estou tentando caminhar por gêneros novos ultimamente!

    Beijão! ♥
    www.opinada.com

    ResponderExcluir