sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Resenha: Fangirl - Rainbow Rowell


 Não é de hoje que Rainbow Rowell encanta meu pobre coração com seus romances, no ano passado ao ler "Eleanor e Park" meu coração ficou mais leve ao adentrar o mundo criado com perfeição pela autora e com "Fangirl" não foi diferente.
 Antes de contar o enredo da história, já aviso que essa resenha não terá spoilers então é só ler e aproveitar parágrafos de puro amor e adoração, já que "Fangirl' entrou para minha lista de favoritos.
 Depois de anos enrolando a leitura dessa obra, finalmente decidi tirar esse livro da minha pilha de espera e me aventurar pelo universo de Cath e Wren, gêmeas idênticas que são fãs obcecadas de uma série de livros intitulada "Simon Snow". Todo o enredo do livro baseia-se na existência dessa série fictícia e as fanfics escritas e publicadas por Cath e Wren no decorrer dos anos, já que ambas as garotas leem esses livros desde a infância.
 Aos 18 anos e prontas para iniciarem a faculdade a rotina entre as gêmeas muda. As meninas que faziam tudo juntas, sofrem sua primeira separação por vontade de Wren. A irmã de Cath não quer dividir de novo o quarto com a irmã e escolhe outra garota para ser sua colega de quarto, deixando a gêmea chateada e mais socialmente reclusa do que o normal.
 Cath é o oposto de sua irmã, tanto fisicamente quanto intelectualmente. A mocinha do livro tem sérios problemas de convívio social, chegando a sofrer de grande ansiedade. A cena mais engraçada do livro é ocasionada devido esses problemas, já que Cath passa 1 mês na faculdade se alimentando de barrinhas de proteínas, pois não teve coragem de procurar o refeitório (quem nunca?).
  Além da separação de quartos, Wren também para de escrever fanfics com a irmã, deixando Cath responsável por continuar o enredo da história intitulada "Siga em Frente" escrita por Magicath (nome de usuário de Cath).
 A importância dessas histórias escritas por Cath são gigantescas e a garota é um verdadeiro fenômeno da internet, chegando a conhecer até mesmo uma fã dentro da faculdade. Festas, amigos e todo tipo de convívio exterior são recusados pela garota que passa todo seu tempo livre escrevendo capítulos para sua fanfic. Cath tem como objetivo terminar sua história antes da autora de "Simon Swon" lançar o oitavo e último livro da série.
 Apesar da relutância em fazer amigos Reagan e Levi rompem as barreiras dessa menina tímida. Reagan é a colega de quarto de Cath, uma menina com aparência e modos rudes que tem como amigo Levi, um menino alto e de cabeleira incontrolável que futuramente irá conquistar o coração de nossa mocinha.


 Todo o enredo é limitado com coisas que ocorrem na faculdade e na família das meninas. O abandono da mãe, o pai estressado que trabalha com marketing e o conflito entre as duas garotas que ao crescerem tentam encontrar seus lugares no mundo e descobrir quem verdadeiramente são.
 Por mais simples que pareça a narrativa de Rainbow Rowell prende o leitor pelo realismo dos acontecimentos. Toda leitora ou leitor tem um lado "Cath" dentro de si.

"- Me conta o que tá acontecendo - disse ele. - Por que está tão infeliz?
- É que... tudo. Tem gente demais. E eu não me encaixo. Não sei como ser. Nada que sou tem a ver com o tipo de coisa que importa lá. Ser esperto não importa; e ser bom com palavras. E quando as coisas realmente importam, é só porque as pessoas querem alguma coisa de mim. Não porque me querem.
A com paixão no rosto dele era de dar dó.
- Isso não tá com cara de decisão, Cath. Parece desistência.
- E dai? Quer dizer... - Ela jogou as mãos para o alto, depois as largou no colo. - E daí? Não vou ganhar nenhuma medalha se continuar. É só a faculdade. Quem liga se eu fizer uma ou não?"

 Além disso a autora aborda questões que apenas nós leitores conseguimos entender, como por exemplo o sentimento de vazio provocado ao chegar no fim de uma série que lemos durante muitos anos e o apego emocional que criamos com aqueles seres fictícios que estão conosco nos bons e maus momentos. 
 Com uma clara analogia à geração "Harry Potter" que acompanhou o lançamento dos sete livros e até hoje sente falta das aventuras do herói, Rowell foi extremamente delicada ao retratar esses sentimentos típicos de nós amantes de livros (eu chorei loucamente quando a série Crepúsculo acabou e minha mãe quase me colocou no soro ao terminar de ler a série Mediadora de Meg Cabot).
 Para complementar a temática, a autora também encanta na elaboração verídica de seus personagens, inclusive os secundários. Reagan foi a melhor garota fictícia já criada e isso fez a autora ganhar mais pontos comigo, pois geralmente as amigas das protagonistas são vazias e sem personalidade servindo apenas como um "pano de fundo" para a narrativa, porém Reagan transborda características e protagoniza os melhores diálogos de qualquer livro "Young Adult" já lido.

"Reagan sentou-se na ponta de sua cama, cruzando os braços.
- Você tem ido às aulas?
- É claro.
- Então?
- Aula é diferente - disse Cath. - Você tem algo em que focar. É ruim também, mas tolerável.
- Você usa drogas?
- Não!
- Talvez devesse começar..."

 Levi também faz sua contribuição para a construção do enredo e pela primeira vez li um mocinho que erra e não é perfeito em todos os aspectos. O garoto (apesar de não ser real) assemelha-se bastante com o meninos cotidianos de 21 anos de idade, trabalha, tem uma família normal e provavelmente não irá falar diálogos perfeitos e idealísticos, sendo esse fator de realidade a causa do meu amor por sua personalidade e relacionamento com Cath.
 Adorei ler como ambos foram aprendendo a conviver um com o outro de maneira a descobrir e aceitar as diferenças de individualidade que ambos possuíam. Aliás todas as relações de Cath com os outros personagens contribuem para o crescimento da personagem.
 A coisa mais legal de "Fangirl" é que a autora cria uma heroína que amadurece sem fazê-la casar, ter filhos ou protagonizar algum outro esteriótipo imposto pela sociedade e talvez esse seja o motivo pelo qual esse livro tem incontáveis fãs ao redor do mundo.
 Classifiquei essa obra com 4 estrelas e a coloquei na minha lista de favoritos, sendo os motivos de não ter dado 5 estrelas causados pela: Versão traduzida que não me encantou tanto e algumas expressões em português perderem o impacto que teriam no idioma original (talvez isso ocorreu, pois eu havia começado esse livro em inglês e depois terminei em português); o final da narrativa que na minha concepção ficou aberto demais, não senti que a autora finalizou definitivamente a história e eu me sinto incomodada com finais assim e por último os trechos da fanfic escrita por Cath que ao misturarem-se com a narrativa me faziam dispersar um pouco da leitura.
 Porém nenhum desses motivos é razão para você (caso não tenha lido) deixar de ler essa maravilhosa obra de Rainbow Rowell. Aqui no Brasil todos os livros da autora são publicados pela +Novo Século Editora e ao todo são quatro obras já publicadas, sendo que nesse ano Rowell irá lançar o livro da fanfic escrita por Cath em "Fangirl", intitulada "Carry On" contando a história de Simon Snow e seus companheiros.
 Portanto pode-se dizer que "Fangirl" causa amor instantâneo e irá aquecer seu coração, entrando imediatamente para a lista de futuras releituras (já garanti minha versão de colecionador, por motivos de fangirl).



Classificação: 4 de 5 estrelas + <3

Um comentário:

  1. Olá!
    Já comecei a ler Eleanor & Park, mas acabei abandonando, quando puder irei retomar a leitura. As capas da autora são simplesmente lindas demais.

    Adorei seu blog e estou seguindo.
    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir