as modistas

Resenha: Volúpia de Veludo (As Modistas #3) - Loretta Chase

14.7.17


 Antes de você prosseguir na leitura dessa resenha, já fica aqui o aviso de que essa será uma resenha negativa. Portanto, se você gostou desse livro poupe-se da negatividade e procure o texto positivo mais próximo de você.
 "Volúpia de Veludo" é o terceiro livro da série "As Modistas" de Loretta Chase. E não; eu não li os livros antecessores dessa saga, porém em nenhum momento isso afetou meu entendimento da obra (fica aqui a dica, caso você também queira seguir meu mau exemplo).
 Eis que esse livro irá abordar a estória de Leonie Noirot, a última irmã do trio que ainda permanecia solteira. Basicamente comandando sua loja de corte e costura sozinha (já que suas irmãs estavam curtindo a vida matrimonial), Leonie não tinha tempo para romance no seu dia-a-dia.
 Todavia, isso estava prestes a mudar quando Simon Fairfax (também conhecido como o marquês de Lisburne) aparece em uma exposição de arte e acaba salvando Leonie de tropeçar e estabacar-se toda no chão.
 Primo do que parecia ser metade da população londrina (todo mundo tinha um vínculo familiar com esse mocinho), Simon apresenta Leonie à lady Gladys, sua prima cujo senso de moda e personalidade não eram exatamente agradáveis.
 Então, Leonie decide transformar a pobre moça na beldade da temporada e para deixar tudo ainda mais interessante, Leonie e Simon decidem fazer uma aposta sobre esse fato. Se a Srta. Noirot não conseguir fazer Gladys arrumar inúmeros pretendentes até o final da temporada ela deve passar duas semanas de ~pura sedução~ com Lisburne. Agora, caso ela alcance seu sucesso, Simon deverá entregar à moça um quadro de Botticelli que ela viu na exposição em que eles se conheceram.
 E assim basicamente resume-se esse tedioso e arrastado livro. Nos parágrafos abaixo, realizarei algumas críticas e comentarei alguns problemas que tive com essa leitura. Portanto, revelações sobre o enredo ocorrerão a partir de agora (ainda que nada dito aqui irá estragar sua leitura, afinal todos nós sabemos qual é desfecho das obras desse gênero).

eliza and her monsters

Resenha: Eliza And Her Monsters - Francesca Zappia

1.7.17


 "Eliza and Her Monsters" é o segundo livro da aclamada escritora Francesca Zappia e conta a estória de Eliza Mirk, uma adolescente extremamente introvertida na vida real. Porém, no universo online a garota é conhecida como a famosa LadyConstellation, autora de Monstrous Sea, uma das maiores webcomics já produzidas. 
 Com milhares de fãs no mundo online, Eliza só conseguiu levar a criação de Monstrous Sea adiante devido a sua anonimidade. Ninguém, exceto sua família e seus dois melhores amigos online, sabia que LadyConstellation era apenas uma jovem de 18 anos com inúmeros problemas sociais (sem falar na extrema ansiedade que dominava a vida da garota).
 Vivendo dentro de seu próprio universo, Eliza conseguiu transformar até mesmo seu hobbie em uma fonte de trabalho, já que seus ávidos fãs compravam todo tipo de material relacionado a sua HQ. Então, até dinheiro para a faculdade a garota possuía, restava agora sobreviver aos últimos meses do colegial (uma tarefa basicamente impossível para todos).
 Eis que o plano de Eliza de permanecer invisível e misturar-se com a paisagem do colégio desaparece vagarosamente com a chegada de Wallace em sua escola. Fã número um do quadrinho Monstrous Sea, Wallace e Eliza iniciam uma tímida amizade que logo evoluí para um romance (extremamente fofinho).
 Lentamente, Eliza começa a aproveitar mais a vida offline, porém seu grande avanço é rapidamente destruído quando a identidade de LadyConstellation é relevada para todo mundo e a garota vê sua sanidade e toda sua vida ir literalmente por água abaixo. 

onze leis a cumprir na hora de seduzir

Resenha: Onze Leis A Cumprir Na Hora De Seduzir (Os Números do Amor #3) - Sarah MacLean

12.6.17


 "Onze Leis A Cumprir Na Hora de Seduzir" é o terceiro e último volume da trilogia "Os Números do Amor" de Sarah MacLean. E finalmente, após lermos (e nos apaixonarmos) sobre os gêmeos Gabriel e Nick, chegou a vez da nossa querida Juliana protagonizar a sua própria estória de amor. 
 Conhecida por sua ousadia e nacionalidade italiana, Juliana Fiori é basicamente um escândalo ambulante. Seu espirito livre e sua falta de familiaridade com as rigorosas regras da aristocracia britânica, fazem com que a garota cometa gafes em quase todos os eventos sociais aos quais comparecia.
 Desde atrair pretendentes abusados à derrubar arranjos de frutas em cima de sua própria cabeça (acidentes obviamente não intencionais), Juliana ainda tentava comportar-se da melhor maneira possível para agradar a sociedade, assim como sua nova família, uma vez que o abandono de sua mãe levou a garota a viver com seus desconhecidos irmãos (pelo menos a negligência da mãe trouxe um ponto positivo na vida da moça, visto que Gabriel e Nick realmente criaram um laço especial com a irmã caçula).
 Porém, todo seu autocontrole desaparece quando Simon Pearson, o famoso "Duque do Desdém" aparece na vida da Srta. Fiori. O magnifico duque de Leighton, com seus cachos dourados e grande porte físico, era a personificação do decoro e da impecável reputação inglesa. 
 O maior pesadelo desse mocinho era envolver-se em algum tipo de escândalo que pudesse manchar o nome de sua família. Portanto, ao ver-se envolvido em um desafio indecoroso com Juliana, nosso duque deve fazer o inimaginável para defender sua imagem e manter seu prestígio intacto.

a court of mist and fury

Resenha: A Court Of Wings And Ruins (A Court Of Thorns And Roses #3) - Sarah J. Maas

2.6.17


 "A Court Of Wings And Ruins" deveria ser renomeado para "A Court Of Ruining My Life", porque eu estou literalmente destruída com o final dessa trilogia (alguém, por favor, chama o Cassian para ele pegar meu corpo estirado lá no chão, porque só um guerreiro Illyrian conseguirá me salvar).
 Em seu terceiro e último livro sobre Feyre Archeron, o leitor irá acompanhar a batalha final entre os seres feéricos versus o famoso Rei de Hybern. Repleto de guerras, alianças inesperadas e muito romance; Sarah J. Maas criou o desfecho perfeito para essa primeira etapa de sua saga (afinal, para nossa alegria, outros livros ambientados nesse universo maravilhoso serão publicados nos próximos anos \o/).
 Agora, é impossível comentar sobre esse livro sem deixar escapar spoilers. Portanto, só prossiga na leitura dessa resenha caso você já tenha terminado de ler ACOWAR (ACOWAR = A Court Of Wings And Ruins). Desde já peço desculpas pelos inúmeros surtos psicóticos e as malucas teorias da conspiração que aparecerão nos próximos parágrafos, afinal enlouquecer de vez em quando com a vida de personagens fictícios faz parte da rotina de qualquer leitor.

agora e para sempre lara jean

Resenha: Agora e Para Sempre, Lara Jean (Para Todos Os Garotos Que Já Amei #3) - Jenny Han

20.5.17


 "Agora e Para Sempre, Lara Jean" é o terceiro e último livro da trilogia "Para Todos Os Garotos Que Já Amei" escrita por Jenny Han. E eu, como uma leitora assídua dessa série, confesso que estava animada e receosa ao mesmo tempo, para descobrir qual seria o desfecho (definitivo dessa vez) da estória de Lara Jean.
 Após o enorme desapontamento que foi "P.S: Ainda Amo Você" (clique no título para ler a resenha), tentei iniciar a leitura dessa obra com as expectativas bem baixas e foi uma agradável surpresa descobrir que eu nem precisava ter feito todo esse esforço, pois esse livro foi simplesmente maravilhoso (*happy dance*)
 Em seu último ano do colégio, Lara Jean está literalmente nas nuvens. Seu namoro com Peter Kavinsky está tão perfeito que parece um conto de fada; sua irmã Margot passará as férias de verão em casa com a família e seu pai finalmente se casará com a Sr. Rothschild. Tudo estava ocorrendo de acordo com o planejado, bastava apenas Lara Jean receber a carta de aprovação da Universidade de Virgínia para seu futuro ficar completo.
 Porém, as coisas nem sempre saem de acordo com o que planejamos e agora Lara Jean deverá encarar todas as dores e dificuldades do amadurecimento, assim como aceitar que a mudança faz parte da vida. O que antes parecia ser perfeito, agora está bagunçado e confuso, fazendo com que nossa adorável garota adolescente tenha de aprender na prática os prós e contras de tornar-se adulta. 

arc

Resenha: Flame In The Mist (Flame In The Mist #1) - Renée Ahdieh

5.5.17


 Ultimamente venho tentando ler livros de uma maneira quase materna; tratando todas as obras com muito carinho, compreensão e sempre que possível procurando encontrar um lado positivo em cada nova leitura. Porém, "Flame in The Mist" chegou para desestruturar todo esse meu momento "paz e amor".
 O novo livro de Renée Ahdieh conta a estória de Mariko. Filha de um poderoso Samurai e irmã mais nova de Kenshin, um destemido guerreiro conhecido por suas inúmeras habilidades. Como mulher, Mariko sabe que sua única função na vida é fortalecer o império de seu pai por meio do casamento com outras potências. Portanto, ao descobrir que seu pai prometeu sua mão à Raiden (filho de outro temido Imperador), Mariko parte imediatamente ao encontro de seu noivo.
 Entretanto, no meio de sua tranquila viagem, a carruagem de Mariko é atacada por um grupo de rebeldes, intitulados "The Black Clan". Toda a comitiva de nossa heroína é morta, com exceção de Mariko que milagrosamente escapa ilesa.
 Lutando para sobreviver, nossa protagonista resolve cortar as madeixas e vestir-se como homem, na intenção de infiltrar-se dentro do próprio clã que saqueou e assassinou todos de sua escolta. Só estando dentro desse grupo, Mariko poderia resolver o mistério sobre a identidade da pessoa que mandou matá-la.
 Eis que, contra todas as chances, os rapazes do clã ao descobrirem que Mariko estava espionando eles, resolvem poupar sua vida e transformá-la em um novo recruta. Ranmaru, líder do grupo, incube a Okami a tarefa de treinar e observar o comportamento de Mariko durante toda sua estadia.
 O que deveria ser apenas uma missão de vingança contra aqueles que lhe atacaram, acaba se transformando em algo muito mais perigoso, quando Mariko começa a desvendar os segredos sombrios que rodeiam esses garotos e todos que lhes cercam.

cassandra clare

Resenha: Cidade Do Fogo Celestial (Os Instrumentos Mortais #6) - Cassandra Clare

26.4.17

Avisos: 
- Essa resenha terá todo tipo de spoiler possível e imaginável portanto, se você não leu a trilogia "As Peças Infernais" ou a série completa de "Os Instrumentos Mortais" recomendo não prosseguir na leitura desse texto (porém, acredito que nessa altura do campeonato todos no universo já leram esses livros);
2º - Pretendo nesse texto fazer um apanhado geral da série "Os Instrumentos Mortais", então não realizarei propriamente uma resenha sobre "Cidade Do Fogo Celestial". Minha intenção é ficar desabafando sobre as aventuras e percalços ocorridos no decorrer da leitura desses seis livros + o que eu achei de cada um deles (desde já, peço desculpas antecipadas por todo o sentimentalismo que envolverá essa resenha);
3º -  Agora chega de enrolação e vamos logo começar esse texto depressivo de despedida.

 Inicialmente tive uma dificuldade enorme em ler a trilogia principal dessa série da Cassandra Clare (composta pelos livros: "Cidade dos Ossos"; "Cidade das Cinzas" e "Cidade de Vidro"). Até hoje acredito que as inúmeras adaptações cinematográficas estragaram totalmente as surpresas dos três primeiros livros, pois após assistir ao filme e a série de televisão, foi impossível surpreender-me com o enredo de Clare ou encontrar alguma novidade em sua estória.
 Então quando no ano passado resolvi retomar a leitura de "Cidade das Cinzas", encontrei outro problema chamado: expectativa versus realidade. Havia lido "Cidade dos Ossos" aos 17 anos de idade, então minha visão sobre essa série estava marcada pelo ar da juventude e inocência dos meus anos de adolescente feliz (sintam minha amargura agora).
 Portanto, pode-se dizer que tive um verdadeiro "choque de realidade", já que ao ler o 2º volume dessa série, acabei descobrindo que ela não era tudo aquilo que eu havia imaginado (agora entendemos porque Peter Pan não queria crescer). "Cidade das Cinzas" era bem juvenil e datado. Tínhamos o famoso triângulo amoroso + vampiros e lobisomens que eram características e personagens obrigatórias de todos os livros jovem adulto daquela época a qual gosto de intitular: "A Era Crepúsculo" (Stephanie Meyer deixou um amplo legado em meados de 2008).
 Portanto, não vou negar que me desapontei bastante com esse livro e os personagens principais dessa série. Clary e Jace tiraram-me do sério com sua rebeldia adolescente. Porém, coisas boas saíram da leitura de "Cidade das Cinzas", como por exemplo Simon + Alec + Izzy, os personagens secundários mais legais da narrativa.

favoritos

Resenha: Herdeira do Fogo (Throne Of Glass #3) - Sarah J. Maas

13.4.17

*recado não pertinente a resenha: meu antigo instagram literário sofreu alguns problemas, portanto sigam o novo ig @beahreads para acompanhar as postagens do blog*

 Foi impossível ficar inume as diversas resenhas negativas que "Herdeira do Fogo" recebeu desde seu lançamento. Tanto no Goodreads, quanto no Skoob eram inúmeros os leitores insatisfeitos com o novo rumo que a estória seguiu nesse terceiro volume da série.
 E essa foi a principal razão pela qual demorei tanto tempo para ler esse livro (sim, sou facilmente influenciável). Já com as expectativas baixas, resolvi encarar "Herdeira do Fogo" e ao finalizar a leitura conclui que realmente eu e a internet temos opiniões extremamente distintas com relação aos livros da Sarah J. Maas (spoiler alert: eu amei esse livro).
 É desnecessário dizer que essa resenha terá spoilers, pois é difícil comentar sobre a continuação de uma saga sem se aprofundar em alguns tópicos. Porém, ao final desse texto, deixarei todos os links dos livros resenhados dessa série, para vocês conferirem meus textos e opiniões.
 Em "Herdeira de Fogo" o leitor encontra Celaena já em Wendlyn, toda desgostosa da vida após as inúmeras mortes que ocorreram em "Coroa da Meia-Noite" (lembrando sempre que essa viagem fazia parte do plano de Chaol, na intenção de ajudar a moça e afastá-la do Rei de Adarlan).
 Após ser enviada à esse novo reino com a missão de matar a família real, Celaena encontra-se sem rumo na vida até que um dia, aparece um guerreiro forte e musculoso com a tarefa de levar a garota para encontrar-se com Maeve, também conhecida como "Rainha das Fadas" e tia de Celaena (momento revelação).
 Lá chegando, nossa protagonista descobre que para obter as respostas às suas perguntas, ela terá que passar por um treinamento intensivo com Rowan (o fortão que a levou até Maeve). Então, só após ganhar a aprovação do rapaz, ela poderá encontrar-se novamente com Maeve (como diz Coldplay: nobody said it was easy).
 E assim resume-se a estória de Celaena nesse livro. Paralelamente ao seu enredo, é inserido na narrativa capítulos a respeito de todos os personagens que permaneceram no Castelo de Vidro. Portanto, o leitor também explora outros acontecimentos, como Dorian tentando controlar sua magia; Chaol fazendo o que ele faz de melhor: bagunça e confusão e assim sucessivamente.
 Não bastasse termos essas três perspectivas distintas, a autora também inseriu novos personagens, com estórias separadas do trio original. Logo temos: Aedion que é outro parente perdido de Celaena; Sorscha que é a curandeira que namorou Dorian e por último Manon que é a bruxa do mal.